Carlos Lyra – Como,Como,Como!

“Indicação” nº 1 do dia:

Como, Como, Como!

Te pego desgraçado e já te como
Mas como Geringonça, como comes?
Eu como como como, safardanas
Tu comes como como? Come home?
Eu como como como: E, já, te ensino
Mas coma como como. E só um menino
Pois ele corre e foge, já, e some.
Ou ele apanha, juro, feito home.
Enfim eu te peguei anjo do mal.
Agora eu mato a cobra e mostro o pau
Meu Deus, não faça isso: perdeu o juízo
Eu juro que lhe pago o prejuízo, ahl
Eu ensino esse boçal!
Uma surra teologal
Releva esse mortal
Eu o entrego ao Vidigal
Vidigal!

Carlinhos Lyra – Cartão de Visitas

“Indicação” nº 4 do livro que eu tô lendo:

Cartão de Visitas

Quem quiser morar em mim

Tem que morar no que o meu samba diz
Tem que nada ter de seu

Mas tem que ser o rei do seu país
Tem que ser um vidinha folgada

Mas senhor do seu nariz
Tem que ser um “não faz nada” mas saber fazer alguém feliz
Tem que viver devagarinho

Pra poder ver a vida passar
Tem que ter um pouco de carinho para dar
Precisa, enfim, saber gastar e ao receber uma esmolinha
Dar de troco o céu e o mar

Tem que ser um louco
Mas um louco para amar

Vai ter que ter tudo isso
Tudo isso pra contar

Vai ter que ter tudo isso
Tudo isso pra contar
Tem que bater muita calçada só cantando o que o povo pedir
E só vendo a moçada praticando pra faquir
Precisa, enfim, filosofar
Que ser alguém é não ser nada e não ser nada é ser alguém
Tem que bater samba e bater samba muito bem
Vai ter que ter tudo isso

Tudo isso e o céu também
Vai ter que ter tudo isso

Tudo isso e o céu também
Quem quiser morar em mim

Tem que morar no que o meu samba diz
Tem que nada ter de seu

Mas tem que ser o rei do seu país
Tem que ser um vidinha folgada

Mas senhor do seu nariz
Tem que ser um “não faz nada” mas saber fazer alguém feliz
Tem que viver devagarinho

Pra poder ver a vida passar
Tem que ter um pouco de carinho para dar
Precisa, enfim, saber gastar e ao receber uma esmolinha
Dar de troco o céu e o mar

Tem que ser um louco
Mas um louco para amar

Vai ter que ter tudo isso
Tudo isso pra contar

Vai ter que ter tudo isso
Tudo isso pra contar
Tem que bater muita calçada só cantando o que o povo pedir
E só vendo a moçada praticando pra faquir
Precisa, enfim, filosofar
Que ser alguém é não ser nada e não ser nada é ser alguém
Tem que bater samba e bater samba muito bem
Vai ter que ter tudo isso

Tudo isso e o céu também
Vai ter que ter tudo isso

Tudo isso e o céu também