Chico Buarque – Funerale di un Contadino

“Indicação” nº 25 do dia:

Funerale Di Un Contadino

questa fossa dove stai
larga poche dita
è il più piccolo conto
che hai pagato in vita
ha volume giusto
né largo né fondo
è la parte che ti tocca
del latifondo
non e una fossa grande
è giusta, precisa
è la terra che volevi
veder divisa
è una fossa grande
per un piccolo morto
ci starai più largo
di quand’eri al mondo
è una fossa grande
per un morto da niente
ma qui più che nel mondo
stai comodamente
è una fossa grande
la tua carne è poca
ma alla terra donata
non si guarda in bocca

Chico Buarque – Frevo Diabo

“Indicação” nº 24 do dia:

Frevo Diabo

É bom, é brabo, é o frevo
Diabo no corpo, torto, corpo
Pára mais não
Fogo no rabo de qualquer cristão
Solta o frevo diabo e adeus procissão
Pelo sinal da santa cruz pandemônio
No dia da padroeira
Não tem romeira? Tem, são morenas
Não tem novenas, diabo, a gente é feliz
Não tem sermão? Tem não, tem orquestra
E cana, e briga, e fogo, e festa
Na matriz

É o barro, é o berro na garganta
Olha a ginga da santa
Devagar com o andor
Meu corpo já não sabe o que faz, Satanás
Diz para parar, que eu já não posso mais
Diz para parar, faz um pouco mais
Faz o Diabo
Hoje é que eu me acabo, meu irmão
É para pular? Não, para parar, para bolinar?
Não, para parar, para arrebentar
Frevo diabo
Hoje é que eu me acabo, meu irmão