Publicado em Música

CANÇÕES DE AMOR JÁ NASCEM VELHAS

Interessante análise!!!

A Palavra - Blog

(obvious)
por João da Rocha

“Provisoriamente não cantaremos o amor,
que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos”. | CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

800px-Ottone-Zorlini-Tocadores-de-violao.jpg

Não vou criticar quem escreve e canta o amor. Um sentimento tão universal e tão impregnado de significados não pode ser satirizado. Todavia, parece-me, aos meus ouvidos; que as canções de amor de hoje – tornaram-se – um grande aglomerado de clichês, na forma, no período, na rima e na própria expressão do autor, serão as canções de amor de hoje, arte?

Será que de fato existem sentimentos, nesses colossais vezos, de cantar os corações partidos? E nas cantigas sobre amores perdidos e grandes romances sendo escritos nos ombros da história contemporânea? Parece-me que não. Porém, acredito que seja um gesto natural de quem se atreve a escrever música (para ficarmos apenas neste campo da arte). A composição romântica nasce quase inconsciente, pura de expressão, às vezes atrelada de…

Ver o post original 574 mais palavras

Autor:

Psicóloga e Influenciadora Digital,amante de música boa

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.